Tag Archives: sexo

Celebizarros!

12 nov

Não poderia deixar o Halloween passar em branco, por mais que tenha deixado.

E por falar em branco, por que não começar com uma cena que aterrorizou gerações?

O que mais assustador do que um bosque mal-assombrado, não? Qual lugar mais terrível de se perder que entre as árvores de uma sombria floresta?

Bruxa de Blair. Pra quem não assistiu: muitas pessoas morrem na floresta.

Sempre o cenário favorito dos mais terríveis assassinos da ficção… Aquele carro que quebra, aquela cabana isolada. O que dizer então de um acampamento no meio do mato?! “Mato” por si só já é uma palavra sugestiva…

São tantos os perigos da floresta… Tento aqui não fazer menção àquela fatídica cena de Evil Dead.

Tree Rape (Evil Dead)

Anos 80: onde até as árvores cometiam crimes sexuais. Uma breve homenagem a Serguei.

E ainda há quem subestime o poder das plantas…

Mas não nossa celebridade de hoje: Christina Ricci.

Tá gatinha a Vandinha, não?

Ricci é uma daquelas que você jamais veria em uma floresta.

Não por ser o lar de temíveis vilões como o Sr. Voorhees:

Nem por seu velho conhecido, o Cavaleiro:

Aquela ali no fundo, interpretando a paisagem, é ninguém menos que a própria Ricci.

Mas por seu verdadeiro e maior temor:

PLANTAS!!!

BOOGA!!!

A história é que Christina Ricci sofre de uma doença conhecida por botanofobia. Sim, enquanto reles mortais têm medo de aranha, altura e escuro, Ricci teme angiospermas, gimnospermas e briófitas.

Uma terrível samambaia

Imagine uma vida dessas.. Não consigo conceber uma infância sem plantar feijão no algodão. E a adolescência? O boy magia vai tentar impressionar a namoradinha com um belíssimo buquê, ela abre a porta e tem um infarto fulminante… Não deve ser fácil. Casa de vó então deve ser o equivalente ao Castelo dos Horrores…

Particularmente, seja a planta mais assustadora do mundo… –

MOMENTO CULTURAL:

A planta mais assustadora do mundo se chama Tacca chantieri, também conhecida como “Bat Plant” pela semelhança de suas flores com rostos de morcegos, ou ainda “Devil’s Plant”

A planta mais assustadora do mundo

[/FIM DO MOMENTO CULTURAL] –… ou um bonsai, no escuro, eu ainda teria mais medo de Christina Ricci.

E para vocês, caros leitores, um bônus. Diretamente da flora hollywoodiana: Audrey II

“Isso não é um déjà vu.”

17 out

Aposto que são poucas as pessoas que gostam de caixão.

Também acho que muitas pessoas desmaiam só de ver um sanguinho básico de um machucado qualquer.

E com certeza, ninguém curte um dente saliente.

Então, por que raios esses vampiros fazem tanto sucesso!?

Graaaande Buffy, a Caça Vampiros.

Bom, você já deve ter sacado o quanto um vampirinho faz sucesso nas telinhas ultimamente. É uma loucura! Não importa o gênero, o canal, o país… A febre vampiresca ataca – e sem dó, nem piedade: o conteúdo pode ser ruim, banal, com atuações péssimas e roteiro mal escrito, mas uma semana depois de sua estréia, já tem 5 fã-clubes com mil membros adolescentes cada.

Série "Moonlight".

Série "Blood Ties".

Por que é clichê?

Aí vai o resumo de absolutamente todo e qualquer enredo que tenha vampiros como ponto central:
1. O vampiro principal é um cara. Ele é misterioso, quieto, pálido, cabelo levemente ensebado e dá olhares fatais de vez em quando.

2. A personagem feminina principal feminina é humana, tem uma vida ok, um cara lindo que gosta dela (mas incrivelmente ela não dá muita bola pra ele), não é muito popular, mas bem… curiosa.

3. Eles se encontram e boom!, atração instantânea.

4. Primeiro relutam ficar juntos. Mas ele salva a vida dela, e ela cai de amores.

5. Dilema 1: “Oh, meu Deus! Nossas naturezas são diferentes! Não podemos ficar juntos!” Muito perigoso pra mocinha.

6. Família dela desaprova a relação; amigos desaprovam relação; cara que gosta dela desaprova relação.

7. Dilema 2: “Oh, meu Deus! O vampirão quando fica excitado quer me morder! Que faremos?!”

8. Carinha que gosta dela é lobisomem! (O que? Lobisomens existem!?)

9. Dilema 3: Lobisomens também são gostosos e atraentes.

10. Dúvida envolvendo transformar a mocinha em vampiro ou não.

11: Eterna repetição dos eventos anteriores (mais aparecimentos de outros seres fantásticos, como bruxas, fadas, e com sorte, duendes.)

Série "Vampire Diaries", com Ian Somerhalder no papel de Damon, e... e... ahn... que que eu tava falando mesmo?

E por que essa merda é tãããão boa!?

Olha, com uma histórinha ruim dessa, com esse drama ridículo todo, você deve achar que é só coisa de pré-adolescente com vozes estridentes.
Pois é. Mas não é. Lá vai o segredinho: vampiro é puro sex appeal.

E, paixão, sexo vende. E vende bem.

Pensa bem: é um relacionamento proibido – e tudo que é proibido é mais gostoso.

O casal tem um segredinho que ninguém mais pode saber.

Vampiros, desde sua origem, remetem ao sensual. São perigosos, fodões, aparecem e vão embora quando querem… são verdadeiros garanhões.

As roupas dos vampiros são elegantes, vermelhas ou pretas, e muito sexys.

Fora que em toda história, mesmo aquelas mais aguadas, rola um sexo animal entre a mocinha e o vampiro.

Série "True Blood".

Sacou?

Bom, é bem por aí que fica o segredinho dos pequenos dentudos.

Quem nunca se sentiu atraída por um personagem de vampiro, ou nunca foi numa festa à fantasia vestido de um achando que ia pegar todas… que prove o contrário!

Vestindo a camisa

5 out

Tudo bem que já foi mais comentado, mas o papel dos reality shows na cultura brasileira sempre foi e ainda é muito importante e presente. Quem nunca assistiu o tão polêmico BIG BROTHER BRASIL?

Acomode-se, caro leitor, e venha dar aquela espiadinha comigo (aposto que você imaginou o Pedro Bial falando) nas confissões mais verdadeiras, porém reprimidas, que tenho certeza que você compartilha comigo.

Se vc é mulher, a foto acima dispensa qualquer tipo de comentário. Agora, se você é homem, tenha uma certeza: não são só vcs que assistem Big Brother para ver as meninas sem roupas. Os homens selecionados nunca deixam a desejar e nós não resistimos àquela espiadinha básica nesses músculos e abdomens sarados.

Só existe uma coisa que mulher gosta mais de ver dentro da casa mais vigiada do país: as mulheres. Sim, caro leitor, isso mesmo. Sabe aquela menina linda e aparentemente perfeita quando arrumada? As câmeras 24hrs mostram que, até elas, possuem defeitos (não posso deixar de citar a celulite, como exemplo ilutrativo e mais comum). Se você for mulher, você vai concordar comigo: nada como o programa entrar ao ar de surpresa e você assistir as (vaidosas, eu diria) mulheres desesperadas com sua aparência.

E mesmo com toda essa apelação de verdadeiros modelos selecionados pelos organizadores do programa (a última edição em particular, só faltou eles convidares diretamente dos concursos de beleza que existem pelo Brasil), a audiência do programa continua a despencar cada vez mais.

O apresentador do programa Pedro Bial até tenta conter mais o expectador, o que ele não entende é que a audiência que é garantida só ainda está lá por causa dele. Porque, vamos combinar, o charme do Bial ancanta qualquer um. O dia que ele resolver deixar o programa, provavelmente o este deixará de existir também.

Mesmo com seus discursos que sempre tentam ter objetivos filosóficos – ou aparentar para a grande massa brasileira algo profundo e logo, que ninguém entende nada, Bial é o típico esteriótipo de “cinquentão” charmoso que ainda está com tudo em cima.

Pois é, o jeito é esperar até o fim do ano para aquelas chamadas insuportáveis da globo com aqueles robôs de olhinhos piscando e alunciando a chamada do mais novo grupo de guerreiras pessoas… A propósito, em qual edição estamos mesmo?

Celebizarros!

27 set

Apresento-lhes Kate Walsh.

Kate estourou pra fama com o seriado Grey’s Anatomy (aqueeele de médicos que se pegam, sabe?) na pele da personagem Addison Montgomery Shepherd, a esposa traída de Derek Shepherd.  – Outra coisa que foge a minha compreensão. Quem no mundo trairia a Addison com a Meredith?!  Bizarro. Mas isso é assunto pra uma próxima… – A aceitação foi tão grande que hoje ela ainda interpreta Addison, mas agora apenas Montgomery, solteira e protagonista do spin-off Private Practice.

Kate Walsh é linda e divertidíssima (comprovam todos os seus seguidores no Twitter). Mas o que mais impressiona mesmo é a semelhança que Kate carrega com outra atriz [PAUSA. “Outra atriz”não… “A Diva do cinema francês” talvez seja a forma gramaticalmente correta]: Catherine Deneuve!

A semelhança é tamanha que até mesmo o marido de uma das pacientes de Addison notou, no episódio 2×20 Band-Aids Cover the Bullet Hole, deixando rapidamente a esposa pra escanteio.

“Nossa, realmente! Elas se parecem muito… Mas o que há de bizarro nisso?”

Eu lhes digo, caros leitores: absolutamente nada.

Pois bem, tudo até aqui não passa de uma forma descarada  de publicar fotos de Kate Walsh e Catherine Deneuve em um único post. Sim, uma desculpa esfarrapada vocês dirão, mas talvez nunca tivéssemos chance de apreciar tamanha beleza em nosso amado blog, portanto agradeçam-me. Sempre zelando por vocês…

Tendo resolvido essa situação, eu lhes digo o que é realmente bizarro: Tudo Para Ficar Com Ele (2002).  Quem nunca se deliciou com esse verdadeiro guilty pleasure?

Se você já viu, não preciso dar muitas explicações dos motivos pelos quais o filme é bizarro. Garotas completamente insanas em situações mais insanas ainda. Mas dentre muitas bizarrices, elenco uma como a principal: esse filme foi baseado em Kate Walsh.

Acontece que a roteirista, Nancy Pimentel, é uma das melhores amigas de Kate e decidiu basear-se da amizade das duas para a construção do filme. Prova disso pode ser vista nos extras do DVD:

Essa pequena e inofensiva informação me deixou perturbadíssima quanto a origem de algumas cenas. Como por exemplo essa:

Ou essa:

Mas talvez a que mais me intrigue seja essa

Na alegria e na tristeza

22 set

Leitores, preciso fazer uma confissão. Estou obcecada por Spartacus. Desculpe meninos, mas……

Ok meninos, para vocês nao ficarem com vontade de darem uma de gladiador e cortar minha cabeça fora, mando essa daqui de brinde.

Existe coisa mais “guilty pleasure” do que 50 minutos de sexo selvagem e violência gratuita? Como se não bastasse o seriado ainda me faz sentir melhor: a minha vida universitária contém menos álcool do que nas orgias Romanas!

Ok, gostar de Spartacus não é tão embaraçoso, afinal já existe um CLÁSSICO do cinema com o mesmo nome e história, e convenhamos “sex sells.” Então por que ele se encontra no nosso blog? Por um motivo bem simples, porque minha avó de 94 anos entrou no meu quarto enquanto eu assistia. Me senti um menino adolescente escondendo pornô, e me toquei naquele momento que Spartacus só se curte na intimidade. Por isso, apesar da sua trama incrível, ele entra na nossa lista.

Só alegria – A trama incrivel… ZUEIRA, os abs!!!:

E a tristeza – Ser pego no flagra durante uma das cenas absurdamente explicitas de sexo que ocorrem a cada 3 minutos: