Tag Archives: brega
30 nov

A historia do mundo é extensa, mas desde a epoca das pinturas rupestres o ser humano sempre se preocupou em retratar o mundo tal como ele o enxerga.

 

Essa pintura, como muitas, relata o dia dia de um caçador da epoca.

Elas revelavam crenças….

A figura acima é o deus Egipcio Osiris, o rei do submundo que julgava o peso da alma dos mortos contra o de uma pena.

…..ideais…..

Liberté, Égalité, Fraternité!!!

… e até algo banal como o valor estética de uma cultura em um determinado período.

Vide o "panceps" da Venus de Milo.

Entao, MEU DEUS, o QUE que aconteceu com os anos 80?!?

Oh wow.

Tudo bem, já era esperado de que depois de todo aquele ácido nos anos 60/70 viria alguma coisa realmente scary, mas as vezes acho que exageraram.

Imagem real de um filme chamado Frankenhooker.

Entre filmes esquisitos, ombreiras, disco fever, hair-metal, polainas, a discreta transformaçao do Michael Jackson, ALF – o ETeimoso, e todas aquelas cores, os que viveram essa década louca escondem muitas fotos. Por que? Porque sentem vergonha. E quem não viveu? Não tem problema, sentem vergonha alheia.

Mas mesmo com toda a breguice e decadência, no fundinho fundinho, todos nós amamos um pouquinho os anos 80.

Só Deus sabe…

16 set

“Pecados nossos que estão na Terra…
Amaldiçoados sejam nossos gostos
Que vêm a nós pela TV
E não resistimos à sua vontade,
Assim como cinema ou na rádio. 

O brega nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai nossos prazeres horrendos
Assim como nós perdoamos a quem nos tenha oferecido
E deixei-nos em paz cair em tentação
Mas livrai-nos da culpa 

Amém”

Sentindo-se… culpado?

Envergonhado?

Arrependido?

Seus problemas acabaram!

Ok, na verdade provavelmente não, mas pelo menos vai parecer que sim por alguns segundos.

O que acontece é que alugamos um padre pra você, ó pecador!

Entre no nosso confessionário digital, e bote a boca no trombone.
Basta nos confessar nesse pequeno box abaixo o seu segredo mais sujo e vergonhoso, e apertar enter.
E pode ir com fé, que o nosso padre já escutou de tudo.

Preocupado com a reputação? Relaxa, sempre tem alguém pior que você.
Acredite.
E o anonimato vale para todos! Inclusive nós, do próprio blog.

E o melhor: nada de rezar 20 Aves Maria e 5 Pai Nossos.

A penitência? Confessar algo pior.

Só Deus sabe… que eu sei toda a coreografia da apresentação do show Miss USA, do filme “Miss Simpatia”. E já danço junto com o filme todas as vezes que ele passa.
Obviamente quando estou sozinha. 

Vestindo a camisa

14 set

Olá, caro leitor, tudo bom com você? Minha coluna se resume em uma pergunta: quantas vezes você já não teve vergonha de admitir (até para vc mesmo) que assisitiu aquele programa da TV aberta brasileira? Sim, esse programa mesmo que vc está pensando. Reality shows, programas de auditório, humorísticos, novelas e até filmes como “Lagoa Azul” (de novo?) que insistem em fazer parte do nosso dia-a-dia e , acredite, possuem audiência inacreditável.

Esse é o espaço em que você poderá respirar tranquilo, ver que não está sozinho e discutir coisas que você jamais pensou que discutiria uma dia. Até porque, a TV brasileira é sim um traço de identidade nacional que não vamos conseguir nos livrar tão cedo (seja isso positivo ou não). Agora entre junto nessa aventura comigo e vamos vestir a camisa, sem vergonha do nosso país!

Como se fosse a primeira vez…

…ou, literalmente, vamos ao primeiro post de minha coluna. Tenho certeza que esse título de filme não é estranho para você e que assistiu pelo menos uma (ou muitas) vez(es). De uns tempos para cá, a tão querida emissora Rede Globo simpatizou, eu diria, com esse filme. A TV aberta insiste em reprisá-lo constantemente, em diferentes sessões de cinema de sua programação.

 

 

E estará a emissora cometendo um equívoco  “burro” repetindo o filme com tanta frequencia? Você sabe que não.
O jeito tão meigo e ingênuo com que Lucy se apaixona por Henry nos encanta e faz com que queremos ver, supreendentemente, as outras milhões de vezes em que esse mesmo ato vai acontecer. Sem falar que, querendo ou não, o amor dos dois é uma coisa tão fora do normal que somos persuadidos pela leveza do filme, como se ele nos convidasse para sair de nossas vidas monótonas e chatas para entrar na aventura de alguém que tenta conquistar todos os dias a mesma mulher. E pior, é sempre bem sucessido. Lindo, não?

 

Kitsch / Cult

11 set

Tão ridículo que é imediatamente cool